Home » Doenças da Pele » Albinismo. Saiba mais sobre…

Albinismo. Saiba mais sobre…

O maior risco do albino é o desenvolvimento do câncer de pele, queimadura e cegueira

Derivada do latim albus (branco), a palavra “albinismo” se refere à incapacidade de um indivíduo fabricar corretamente a melanina (do grego melan, negro), substância que dá cor à pele e protege contra os danos da radiação ultravioleta solar.

saiba-mais-sobre-o-albinismo-dermatologia-e-saude-6Você já ouviu falar em Albinismo?

O albinismo é uma condição genética que se caracteriza pela ausência, total ou parcial, da enzima tirosinase, que está envolvida na produção da melanina. Essa substância é a responsável pela cor da pele, cabelos, pelos e olhos e, além disso, é a primeira defesa contra os danos do sol, pois absorve as radiações ultravioletas.

O albinismo só acontece quando ambos os pais, albinos ou não albinos, transmitem o gene recessivo do albinismo para o filho. É mais comum nascer um albino quando os pais são consanguíneos, ou seja, parentes próximos. O albinismo afeta uma em cada 18.000 pessoas.

Quais são as características físicas mais marcantes dos albinos?

Os albinos nem sempre são totalmente brancos. Os cabelos e os pelos são muito claros e a coloração da pele pode variar entre o branco leitoso e o marrom, dependendo da quantidade de melanina. A cor dos cabelos pode adquirir diferentes tonalidades, desde o loiro até o vermelho, e escurecem na vida adulta. Para alguns, a tonalidade da pele não muda nunca, mas para outros é comum surgirem manchas pela produção gradual de melanina decorrente da exposição ao sol ao longo da vida (sardas e manchas solares).

Os albinos possuem olhos azuis ou castanhos muito claros, às vezes, dão uma falsa impressão de serem vermelhos ou rosados, pois é possível enxergar os vasos sanguíneos localizados na parte de trás do globo ocular, já que a íris e a retina são transparentes.

Os albinos possuem olhos azuis ou castanhos muito claros, às vezes, dão uma falsa impressão de serem vermelhos ou rosados
Os albinos possuem olhos azuis ou castanhos muito claros, às vezes, dão uma falsa impressão de serem vermelhos ou rosados

No albinismo, o olho produz pouquíssima melanina durante seu desenvolvimento. Isso faz com que a retina e os nervos que ligam os olhos ao cérebro se formem de maneira anormal, comprometendo a visão. É comum o estrabismo, miopia, hipermetropia, fotofobia (sensação desconfortável ou dolorida devido à claridade), astigmatismo e nistagmo (movimento rápido e descontrolado dos olhos em várias direções). Em algumas crianças, o primeiro sinal de albinismo é a visão comprometida. Às vezes, ao nascer, é difícil ter certeza que a criança é albina e o nistagmo pode ser um dos primeiros sinais percebidos pelos pais.

Ensaio fotográfico - "À flor da Pele" - AlexandreSevero
Ensaio fotográfico – “À flor da Pele” – AlexandreSevero

Quais são os riscos que os albinos sofrem?

Como os albinos tem menor quantidade de melanina, que é o pigmento que protege a pele dos danos da radiação solar, há um maior risco de queimadura solar e câncer de pele. Normalmente, quanto menor a quantidade de melanina produzida ,mais altas são as chances de se desenvolver o câncer de pele que costuma ser mais precoce, em maior número e mais agressivo nos albinos. O tipo Carcinoma Espinocelular (CEC) é o mais comum nos albinos, enquanto no restante da população é o Carcinoma Basocelular (CBC).

Por que os mitos e perseguições aos albinos?

O albinismo é pouco presente no ocidente, mas é muito comum na África Subsaariana. Na Tanzânia e em outros países africanos, albinos sofrem preconceito, perseguições e mortes. Em algumas regiões são tidos como demoníacos e perigosos. Em outras, acredita-se que os albinos tragam sorte e riqueza, assim, são mortos ou sofrem mutilações de parte de seus corpos para que sejam feitas poções “mágicas”. Muitas mulheres albinas também são vítimas de estupro, porque existe a crença de que ter relações sexuais com elas possa curar a Aids. Eles costumam sofrer maus tratos na escola e serem muito discriminados por sua aparência o que acarreta problemas emocionais e psicológicos.

Placa com nome de 139 mortos
Placa com nome de 139 mortos

O albinismo é contagioso?

O albinismo não é contagioso. O desenvolvimento físico e mental não é afetado nos albinos. A expectativa de vida é a mesma da população em geral, com exceção de casos de câncer de pele não tratados.

Qual a diferença entre albinismo e vitiligo?

O vitiligo é uma doença da pele que se adquire e se desenvolve progressivamente, enquanto o albinismo se apresenta desde o nascimento. No albinismo, não existe melanina porque os melanócitos não podem produzi-la. No vitiligo, não existe melanina porque os melanócitos são destruídos. O albinismo é uma condição genética, já o vitiligo não tem uma causa conhecida, mas sabe-se que alguns fatores têm papel fundamental, como genética, imunidade, estresse, trauma e exposição ao sol. O albinismo é uma doença que afeta a pigmentação global de toda a pele e no vitiligo há perdas em algumas áreas do corpo. O albinismo e o vitiligo não são contagiosos. E, ambos, sofrem de preconceito e discriminação.

O albinismo tem cura?

O albinismo não tem cura. O mais importante é evitar as complicações, como câncer de pele, queimaduras solares e cegueira. Por isso, é preciso:

  • Utilizar regularmente o filtro solar de amplo espectro para radiação ultravioleta UVA e UVB;
  • Usar roupas que protejam contra os raios ultravioletas, como camisas de manga longa e chapéus com aba larga;
  • Proteger os olhos usando óculos escuros contra os raios ultravioleta;
  • Consultar regularmente o dermatologista (conheça o Programa Pró-albino) e o oftalmologista.
Monumento na cidade africana de Sengerema - Casal não portador segurando bebê albino
Monumento na cidade africana de Sengerema – Casal não portador segurando bebê albino


Dra. Ana Andrade CappDra. Ana Andrade Capp
Médica Dermatologista
CRM-DF 14.244 | RQE 10.245

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

1 Comentário

  1. Boa tarde! Como posso inscrever meu filho no programa pro Albino? Ele tem apenas 3 meses, e foi diagnosticado com albinismo ocular… somos de Diamantino-Mato Grosso e precisamos de um geneticista, mas aqui no Mato Grosso só tem 1 geneticista e é muito difícil uma consulta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *