Home » Câncer de Pele » O que é câncer de pele e seus tipos

O que é câncer de pele e seus tipos

o-que-e-cancer-de-pele-e-seus-tipos-dermatologia-e-saude-350x300O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum na população e dentre estes os dois tipos mais comuns são o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular.

Todo paciente deve fazer uma consulta anual ao médico dermatologista para prevenção e diagnostico precoce do câncer de pele. Somente um médico especializado pode diagnosticar e prescrever a opção de tratamento mais indicado para cada tipo de câncer

Tipos de câncer de pele:

Carcinoma basocelular

O carcinoma basocelular  é o tipo mais comum (70% dos casos) e menos agressivo. Ele apresenta crescimento muito lento e dificilmente se espalha para outras áreas do corpo (metástase) ou invade outros tecidos. Esse câncer ocorre mais em áreas expostas ao sol: como rosto, pescoço e orelhas.

Sintomas:

  • Pode ser um nódulo “perolado” ou uma ferida que não cicatriza;
  • Sangra com facilidade.

Quando o tumor é retirado precocemente, as chances de cura são altas.

Entre 35% e 50% das pessoas que tiveram esse tipo de câncer de pele vão ter um outro num prazo de 5 anos. Portanto o paciente deve fazer um acompanhamento com seu médico dermatologista.

Carcinoma espinocelular

O carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais comum de câncer de pele (20% dos casos). Ele é mais agressivo e de crescimento mais rápido que o carcinoma basocelular, podendo atingir outros órgãos, caso não seja retirado com rapidez.

É mais comum nas áreas expostas ao sol, como couro cabeludo, orelha, pescoço e mãos. Pode ocorrer também nos lábios e genitais. Ocorre principalmente à partir dos 50, 60 anos, com maior frequência no sexo masculino.

Sintomas:

  • Pode ser uma mancha, nódulo, verruga ou uma ferida que não cicatriza;
  • Tem consistência endurecida;
  • O crescimento é rápido (poucos meses);
  • Geralmente a pele ao redor apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade;
  • Ele pode surgir sobre cicatrizes antigas (como cicatrizes de queimaduras) ou feridas crônicas (como úlceras nas pernas);

O tratamento geralmente é cirúrgico e quando realizado precocemente a chance de cura é maior.

o-que-e-cancer-de-pele-e-seus-tipos-dermatologia-e-saude-350x300-1Melanoma

O melanoma felizmente tem incidência bem menor que os outros tipos de câncer de pele. É um dos tumores mais perigosos, e tem capacidade de invadir qualquer órgão e espalhar pelo corpo rapidamente (metástase). Ocorre em várias partes do corpo como pele, olhos, orelhas, membranas mucosas, genitais, palmas e plantas. As áreas mais comuns são as costas para os homens e os braços e pernas para as mulheres.

Pessoas de pele, cabelos e olhos claros, têm maior risco de desenvolverem a doença. Mas indivíduos negros ou morenos também podem desenvolver melanoma, ainda que mais raramente.

Sintomas:

  • Pode ser uma pinta ou um sinal na pele, acastanhado ou enegrecido que mudou de cor, de formato ou de tamanho;
  • Aparecimento de uma nova mancha ou pinta;
  • Outras mudanças suspeitas podem incluir coceira, “comichão”, sangramento e a não cicatrização da área.

Quando inicial, o melanoma é mais superficial, o que facilita a remoção cirúrgica e a cura do tumor. Nos estágios mais avançados, a lesão é mais profunda e espessa, aumentando as chances de metástase para outros órgãos. Por isso, o diagnóstico precoce é fundamental. Casos de melanoma metastático, em geral, apresentam pior prognóstico e dispõem de um número reduzido de opções terapêuticas.

A hereditariedade é um fator de risco importante para o desenvolvimento do melanoma. Por isso, familiares de pacientes diagnosticados com este tipo de câncer de pele devem se submeter a exames preventivos regularmente.

Se diagnosticado precocemente as chances de cura são de mais de 90%.

Portanto, mesmo sem nenhum sinal suspeito, é recomendado fazer uma visita anual ao seu médico.

É importante observar a própria pele constantemente (fazer o auto exame) e procurar imediatamente um dermatologista caso apresente alguma lesão suspeita ou que apresentou mudança no seu aspecto.

O paciente que já teve um câncer de pele deve fazer um acompanhamento permanente com o dermatologista.



Dra-Fabiola-de-Paula-Pereira-TakeutiDra. Fabíola de Paula Pereira Takeuti
Médica Dermatologista
CRM-SP 119874 | RQE 40586

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

3 Comentários

  1. Eu estou morrendo de medo pois saiu umas pintas na minha barriga pesquisado vi q pode se câncer não FIS exame pois tenho duas filhas .adolescente uma de três ano,oque posso fazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *