Home » Doenças da Pele » Herpes zoster x “cobreiro”

Herpes zoster x “cobreiro”

O herpes zoster, conhecido como cobreiro, é uma infeção viral causada pelo mesmo vírus da catapora. Em condições de baixa na imunidade e, nos idosos, o vírus da catapora que estava adormecido nos nervos, migra para pele causando uma erupção bolhosa em faixa muito dolorosa. As lesões curam espontaneamente, mas o tratamento deve ser precoce para evitar complicações

Zoster tóraco abdominal
Zoster tóraco abdominal

Após a infecção pelo vírus da catapora na infância, o vírus varicela zoster fica adormecido nos gânglios nervosos da coluna e pode ser reativado a qualquer momento quando há queda da imunidade por estresse, infecção, câncer, quimioterapia e HIV e, em especial, nos idosos. O vírus percorre o caminho do gânglio até a pele através dos nervos e causa o herpes zoster.

Quais são os sintomas?

Uma sensação de coceira, formigamento e dor intensa surge no local onde vão aparecer as lesões. A dor pode ser tão intensa que às vezes é confundida com infarto, apendicite ou fratura de costelas, de acordo com a região do herpes. Depois de horas ou dias surgem pequenas bolhas na pele em uma base avermelhada, semelhantes às da infecção pelo herpes simples.

As lesões acompanham o caminho do nervo da coluna até a pele, como uma faixa que percorre apenas um lado do corpo, ou o lado direito ou esquerdo. As lesões não ultrapassam a linha média do corpo. Em seguida as bolhas se rompem, secam e surgem as crostas. Esse quadro dura cerca de 15-30 dias. Um novo episódio é raro.

A dor neuropática pela inflamação dos nervos no local do zoster é a complicação mais grave e comum. É uma dor intensa e persistente, por meses ou anos, e ocorre mais nos idosos. Outra complicação é a infecção das vesículas por bactérias. E, em casos de herpes oftálmico, quando a erupção é na testa, bochecha, nariz e um dos olhos, pode ocorrer paralisia facial e cegueira.

Tenho risco de ter herpes zoster?

Se você já teve catapora na infância, há chances de ter o herpes zoster. Uma em cada três pessoas terá herpes zoster durante a vida.

Quem deve evitar o contato com os doentes com herpes zoster?

Qualquer um que tenha um sistema imunológico debilitado, recém-nascidos (principalmente prematuros) e grávidas. Na fase de crostas não há mais risco de transmitir o vírus.

Como posso me prevenir do herpes zoster?

A melhor forma de prevenção é a vacinação contra a catapora com a tetra viral que consta no programa nacional do SUS desde 2013. Ela é aplicada aos 12 meses e tem uma excelente proteção.

Existe também a vacinação do herpes zoster para pessoas acima dos 50 anos. É uma opção para quem tem condições de pagar, pois não está no programa do SUS. A duração da imunidade não é longa (7anos) e não garante proteção total.

Existe algum tratamento disponível?

Não existe tratamento para eliminar o vírus. Mas há tratamentos para aliviar os sintomas da doença, diminuir a duração da doença e o risco de complicações. É importante iniciar o tratamento com os antivirais, analgésicos e/ou corticóides logo nos primeiros sintomas da doença.



Dra. Ana Andrade CappDra. Ana Andrade Capp
Médica Dermatologista
CRM-DF 14.244 | RQE 10.245

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

4 Comentários

  1. Relacionados: Herpes: o que você precisa saber! - Dermatologia e Saude
  2. Relacionados: Varicela
  3. Adorei o texto me esclareceu sobre o assunto pouco divulgado

  4. Como tirar a mancha (tipo queimadura) deixada na testa pelo herpes zoster?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *