Home » Doenças da Pele » Eritema pérnio ou perniose

Eritema pérnio ou perniose

As frieiras de inverno são, na verdade, um problema que se manifesta na pele. São normalmente chamadas de eritema pérnio ou perniose. Atingem pessoas mais sensíveis a baixas temperaturas, como os idosos que apresentam problemas de circulação, as mulheres e as crianças.

Eritema pérnio
Eritema Pérnio ou Perniose.

Elas são muito incomodas pois, além da coceira, há dor e formigamento e o aparecimento de pequenas úlceras. Cada surto da doença demora cerca de três semanas até aliviar. Se os cuidados corretos não forem tomados, novas lesões irão se formar.

As frieiras de inverno decorrem de um espasmo nos pequenos vasos sanguíneos que irrigam a pele das extremidades, quando, durante as baixas temperaturas, o organismo tenta dar prioridade para aquecer os órgãos mais importantes como o cérebro e coração. Esses locais recebem todo o sangue possível, e isso faz com que diminua a circulação para as extremidades (mãos, pés, nariz e orelhas). As pontas dos dedos ficam frias e com pouca circulação, e isso causa uma inflamação com coloração vermelho-arroxeada, inchaço e pequenas bolhas de cor roxa mais escura que evoluem abrindo e formando úlceras dolorosas.

Elas coçam, formigam e são dolorosas. Após cerca de três semanas, cicatrizam. Porém, se a exposição a baixas temperaturas persistir, novas lesões aparecerão.

Eritema PérnioO tratamento para o eritema pérnio é manter as extremidades aquecidas usando roupas adequadas, para que o corpo todo permaneça aquecido. Recomenda-se o uso de luvas e meias de tecidos térmicos. Evite o contato com água gelada.

Para tratar as lesões já existentes, indica-se o uso de cremes com corticoides e antiinflamatórios de uso oral. Muitas vezes se faz a tentativa de melhorar a circulação local por meio do uso oral de vasodilatadores. Raramente o paciente que sofre de perniose pode apresentar doenças associadas, como lúpus eritematoso (3% dos casos).

Se você suspeita que tenha perniose, procure seu médico para receber a orientação adequada e para que ele afaste outras doenças associadas.



Dra-Marta-Izabel-Cerutti-AlbeDra. Marta Izabel Cerutti
Médica Dermatologista
CRM-RS 14708| RQE 12477

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


2 Comentários

  1. Estou em desespero sofro com essa perniose há 17 anos.

  2. Eu tenho perniose desde criança, nos pés, mas graças a um médico que consultei ainda quando pequena, ele ensinou a cozinhar pinhão sem o sal, naquela água avermelhada fazer escalda pés. Eu repito umas 5 vezes, assim que percebo a doença se manifestando. É um excelente tratamento. Espero ter ajudado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *