Home » Estética » Celulite » Celulite

Celulite

A celulite é uma queixa muito frequente entre as mulheres hoje em dia, afetando até 98% delas. A condição é crônica, porém há diversos tratamentos para seu controle

A popular celulite (o termo científico é Lipodistrofia Ginóide) atinge até 98% das mulheres em algum momento da vida, sendo mais comum nas fases em que sofremos modificações hormonais como na puberdade, durante o uso de pílulas anticoncepcionais e também na gravidez. Os locais mais afetados são nádegas, culotes, abdome e coxas. Trata-se de uma condição crônica e que requer atenção e cuidados permanentes.

Porque a celulite acontece?

A causa da celulite é desconhecida, há na verdade uma associação de vários fatores como a predisposição genética, alterações hormonais e distúrbios circulatórios locais.

Estes fatores levam a um tipo de inflamação local, que por sua vez forma pontes endurecidas que ligam a pele diretamente ao tecido gorduroso. São essas pontes que puxam a pele para baixo, dando o aspecto ondulado de “furinhos” conhecido como “casca de laranja”. Além disso, há uma alteração circulatória com diminuição da oxigenação e acúmulo de líquidos nas células de gordura.

A celulite é agravada pela presença de gordura localizada e flacidez cutânea.

Classificação da celulite

  • Grau 1: Os furinhos só são percebidos quando a pele é apertada;
  • Grau 2: Percebida espontaneamente na pele em pé ou deitada;
  • Grau 3: Ao passar a mão sobre a pele a paciente sente nódulos de consistência endurecida, pela formação de fibrose. O local é dolorido quando manuseado.

Tratamentos

O tratamento da celulite depende de mudanças nos hábitos alimentares e de vida, sendo que a prevenção do quadro é muito importante e deve ser realizada desde a puberdade.

As orientações alimentares são para se manter o peso, com uma dieta equilibrada, reduzir a ingestão de sal e carboidratos simples (de alto índice glicêmico, elevam a insulina no sangue), adicionar alimentos com poder antioxidante (como as frutas vermelhas, laranja e acerola) além de beber bastante líquido e evitar ingestão de bebidas alcóolicas.

Realizar atividade física regularmente, de preferência associando exercícios aeróbicos com localizados para queima de gordura e combate à flacidez.

Também é importante evitar o uso de roupas muito justas e o tabagismo, já que ambos dificultam a circulação do sangue, o que piora a retenção de líquidos.

Os tratamentos incluem a intradermoterapia, drenagem linfática manual ou mecânica e subcisão. Podemos contar ainda com o auxílio de aparelhos como os de luz infravermelha, radiofrequência, laser de baixa intensidade ou ultrassom que fazem um aquecimento local levando a produção de novas fibras de colágeno, com uma pele mais firme. Além disso, atuam fazendo esvaziamento das células de gordura.

O tratamento com cremes associa diversas substâncias para estimular a circulação local, diminuindo a retenção de líquidos, tem a proposta de melhorar a firmeza da pele e auxiliar na formação de colágeno, mas possuem resposta bastante limitada e necessitam de aplicação associada a massagem.



Dra. Gabriela Pfitzer SchaeferDra. Gabriela Pfitzer Schaefer
Médica Dermatologista
CRM-SC 12965 | RQE 10072

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *