Home » Doenças da Pele » Alopécia fibrosante frontal

Alopécia fibrosante frontal

alopecia-fibrosante-fontral-dermatologia-e-saude-350x300
Azul: sobrancelha micropigmentada após perda dos pelos; Vermelho: avanço da linha anterior dos cabelos, com aumento do tamanho da testa e perda das costeletas em mulher

O que é Alopécia fibrosante frontal

De repente você se olha no espelho e percebe que a sobrancelha já não é mais a mesma. Faltam pelos, está falha, apagada, irregular. Você até se incomoda com o que vê, mas não se preocupa muito, pois uma boa maquiagem ou uma micropigmentação resolvem o problema. Passa o tempo e você nota que a testa está maior, mais alta, ou que as costeletas estão sumindo. Sinal de alerta! Hora de procurar um especialista, isso pode ser Alopécia fibrosante frontal.

Mas o que é isso, doutor?

Alopécia fibrosante frontal é uma doença relativamente nova, considerada uma variante do liquen plano pilar. Foi descrita pela primeira vez em 1994, ou seja, há pouco mais de 20 anos e é caracterizada pela perda progressiva dos pelos da linha anterior dos cabelos e das sobrancelhas. Alguns pacientes queixam-se de coceira, dor ou ardor no couro cabeludo, outros apresentam também queixa de redução de pelos corporais.

Pouco vista nos consultórios médicos no passado, têm sido registrados números cada vez maiores da doença nos últimos anos em todo o mundo.

Por que isso acontece?

Não se sabe ao certo qual a causa ou o gatilho da doença, mas sabemos que ocorre com mais frequência em mulheres após a menopausa. Estaria assim, relacionada aos hormônios? Ao uso de cosméticos capilares como tinturas e alisamentos? Teria relação com cirurgias plásticas que deixam cicatrizes no couro cabeludo, como os liftings?

Há vários grupos de pesquisa em diferentes países estudando o assunto no momento, buscando as respostas para essas dúvidas, mas até o momento a causa é desconhecida.

Porque o cabelo cai?

Os pelos caem porque ocorre uma inflamação na pele do couro cabeludo, bem próximo à raiz dos fios que destrói o folículo piloso e deixa uma cicatriz no local, onde não nasce mais nenhum fio de cabelo. Assim, classificamos esse tipo de alopecia como “cicatricial”.

Existe tratamento?

Existe tratamento para controlar a progressão da doença. Quanto mais precoce o diagnóstico e o início do tratamento, maiores as chances da doença estabilizar. Deve ser supervisionado por um médico especialista e consiste basicamente no uso de medicações para conter a inflamação.

Podem ser considerados também o uso de maquiagens cosméticas e camuflagens para melhorar o aspecto da área sem pelos, melhorando assim a auto-estima do paciente enquanto faz o tratamento.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é clínico, a partir do exame médico detalhado do couro cabeludo e dos pelos do corpo e confirmado por biópsia do couro cabeludo. A tricoscopia também pode ser usada como método auxiliar de diagnóstico.

Veja mais em: Exames de avaliação das doenças dos cabelos e couro cabeludo



Dra. Thaís FerrazDra. Thaís Ferraz
Médica Dermatologista
CRM-SP 126039 | RQE 32754

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

7 Comentários

  1. Boa noite. Fui diagnosticada com essa doença Alopecia Fibrosante frontal. Perdi sobrancelhas, os cabelos na região frontal e pelos dos braços e pernas. É muito triste tudo isso. Fiquei com baixa auto-estima. Infelizmente sei que é irreversível. Mas dá pra viver assim. Tenho fibromialgia também, sei que tudo isso segundo minha opinião, a causa é emocional. Vivendo um dia de cada vez, com Deus!

  2. Estou fazer tratamento será volta cabelo fez biopea deu alopecia fibrosante frontal

  3. Estou com problema de saúde capilar, Alopecia Fibrosante Frontal O que faço??/
    Por favor me de orientação… Dês de já muito obrigada …

  4. A fotobiomodulação com aplicação de laser/led pode ajudar no tratamento da alopecia frontal fibrosante?

  5. Estou com o comeso da Alopesia frontral

    Vcs tem a cura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *