Home » Novidades » Microagulhamento em alopecias

Microagulhamento em alopecias

O microagulhamento promove o estímulo para o crescimento dos fios de cabelo através da entrega do medicamento direto na derme com o mínimo de trauma

dermatologia-e-saudeAlopecias, derme, colágeno e microagulhamento

Os cabelos fazem conexão com a autoestima e quem sofre de alopecias sente isso literalmente na pele.

O estudo com foco em perda dos fios é contínuo e existem possibilidades terapêuticas na dependência do diagnóstico de cada tipo de alopecia.

A terapia de indução percutânea de colágeno por agulhas com diâmetro tão pequeno capazes de causar mínima lesão na camada mais superficial da pele (epiderme) e ativar a outra logo abaixo (derme) ganha cada vez mais interesse e estudos (ou novos interesses e estudos a cada dia). Pode ser utilizada para tratamento de cicatrizes (por exemplo: pós queimaduras e acne), estrias, rejuvenescimento e mais recentemente para alopecias.

Mas você pode estar se perguntando:”O que cabelo tem a ver com colágeno e derme?” Tudo! Cabelo (unha também) é um anexo da pele e apesar de repararmos muito no fio pelo acesso fácil, existem áreas importantes na região da derme do couro cabeludo que são fundamentais para a saúde desta região -por exemplo àrea de células totipotentes denominada bulge.

E qual é o objetivo do microagulhamento?

Busca chegar e reativar áreas que não conseguimos ter acesso à derme sem traumatizar em demasia a epiderme (camada mais superficial). Desta maneira pode se realizar entrega de medicamentos (sistema denominado de drug delivery) e ativar vias de comunicação do folículo afim de promover o estímulo para o crescimento do fio.

E serve para todos os tipos de alopecias?

Para alopecias androgenética existem estudos mostrando melhora com o uso do tratamento clínico, e para as demais alopecias existem estudos em andamento. Todavia, sabemos da importância da avaliação/indicação ou contraindicação do procedimento por parte do dermatologista após anamnese detalhada, exame físico, tricoscopia (dermatoscopia do couro cabeludo) e em alguns casos biópsia.

Relevante também considerar os graus da alopecia além dos tipos para que se possa ajustar e individualizar terapêutica



Dra. Bel TakemotoDra. Bel Takemoto
Médica Dermatologista
CRM-SP 123.860 | RQE 35064

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

2 Comentários

  1. é só para homens???
    Mulheres podem fazer???
    No RS já existe??

    • Cara Lia, agradecemos sua mensagem!

      A técnica nas mulheres é mais complexa e só um exame dermatológico pode dizer para quais casos é indicada.

      Para atendimento, por favor, procurar serviços de referência de sua região.

      Você pode pesquisar pelos colunistas deste site neste endereço:
      http://medicosdermatologistas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *