Home » Unhas e Cabelos » Doenças dos cabelos » Queda de cabelo definitiva? Alopecias cicatriciais

Queda de cabelo definitiva? Alopecias cicatriciais

Existem vários tipos de quedas de cabelos, e, felizmente, a grande maioria é temporária. Há uma minoria de casos em que os fios não voltam mais a crescer. Chamamos estas doenças de alopecias cicatriciais

queda-de-cabelo-definitiva-alopecias-cicatriciais-dermatologia-e-saude-2As alopecias cicatriciais ocorrem por uma agressão à raiz dos cabelos, de causa inflamatória. Esta inflamação, se não for tratada a tempo, acaba causando a destruição dos folículos pilosos (regiões que geram o fio do cabelo, onde estão as células-tronco) e cicatrizes são formadas nos locais, inviabilizando o crescimento de novos fios. O couro cabeludo fica endurecido e liso, formando placas calvas.

Este processo leva algum tempo para ocorrer, e a maioria das alopecias cicatriciais tem tratamento no início. É importante procurar o médico logo, assim que os sintomas surgirem, para não dar tempo para a inflamação agredir a raiz dos cabelos, levando à sua perda permanente.

Quais são os sintomas mais comuns?

  • Queda de cabelos em tufos, formando placas lisas no couro cabeludo;
  • Descamação, vermelhidão no couro cabeludo;
  • Ardência e coceira;
  • Pequenas espinhas ou abscessos doloridos, com saída de pus.

As alopecias cicatriciais podem acontecer como uma doença isolada ou acompanhando outra doença.

As formas mais comuns de doença isolada ao couro cabeludo são:

Quando acompanham outra doença:

  • Lúpus eritematoso discóide, principalmente

Diagnóstico e tratamento:

queda-de-cabelo-definitiva-alopecias-cicatriciais-dermatologia-e-saude-3

O diagnóstico vai ser feito depois de alguns exames laboratoriais, da tricoscopia, e às vezes é necessária uma pequena biópsia do local.

O acompanhamento com o médico é muito importante, pois além do tratamento da doença em si, devemos descartar outras causas conjuntas e tratáveis de queda de cabelo, que podem estar piorando a situação, levando a mais perda de cabelos.

O tratamento tem que começar logo, para preservar os folículos capilares que ainda não desapareceram com a inflamação. Normalmente consiste em um conjunto de anti-inflamatórios e antibióticos, que podem ser dados via oral ou aplicados no local, de acordo com a doença.

Em casos tardios, em que já não há mais cabelos viáveis no local, pode-se pensar em um transplante capilar ou uma cirurgia de redução de couro cabeludo, para diminuir a área afetada.



Dra. Maria Silvia Kós CanettiDra. Maria Silvia Kós Canetti
Médica Dermatologista
CRM-SP 86469 | RQE 26.254

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

1 Comentário

  1. Muito bom o conteúdo. bastante esclarecedor!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *