Home » Novidades » Roupas repelentes:  “escudo anti-insetos”? 

Roupas repelentes:  “escudo anti-insetos”? 

Roupas repelentes na prevenção das doenças do momento: Dengue, Chikungunya e Zika

Roupas repelentes podem ajudar a evitar a transmissão de doenças 

Roupas com repelentes de inseto tem sido foco de atenção neste momento crítico de Saúde Pública no Brasil. O vírus Zika se dissemina de forma impressionante e causa insegurança: além dos casos assintomáticos e, portanto, não diagnosticados há ainda a preocupação com as gestantes e seus bebês pelo risco de microcefalia e complicações neurológicas graves.

Os adultos, com doenças crônicas podem ter o quadro de base pode ser descompensado pela doença e a depender do sistema imunológico de alguns,  a evolução pode ser complexa como explica o neurologista Dr. Renan Domingues: “Vírus podem ativar glóbulos brancos que, por sua vez, atacam nervos periféricos, causando fraqueza nos membros. Esta condição, que pode também ser provocada por outros agentes infecciosos, é chamada de Síndrome de Guillain-Barrè.”

A transmissão ainda precisa ser melhor estudada e esclarecida. Assim, diante de tantas interrogações o melhor a ser feito é PREVENIR! E aqui entram as roupas repelentes

Em 2003, após 7 anos de pesquisa e desenvolvimento,  uma empresa americana recebeu aprovação da Agência de Proteção Ambiental (EPA) para comercializar a linha de roupas “Buzz Off” com nova tecnologia como Insect Shield (“escudo anti-insetos”), que é eficaz em afastar insetos através da permetrina fixada na fibra do tecido sem cheiro e considerado seguro para crianças e adultos.

A roupa utilizada pelo exército americano possui tamanhos e modelos variados e vão desde roupas casuais para quem gosta de praticar exercício ao ar livre até roupas mais elaboradas com direito a acessórios que também promovam proteção às áreas comumente esquecidas:  viseiras, bonés, meias. No Brasil já existe a fabricação de pijamas para crianças com mais de 2 anos com o uso da permetrina.

No Japão os ativos comumente utilizados para esta ação e que são aplicados são derivados de plantas: crisântemos (exemplo: permetrina), alecrim e camomila. Nada impede que em área descoberta se aplique um repelente convencional em regiões do corpo descobertas para que se tenha maior segurança.

Roupas repelentes:  "escudo anti-insetos "? 
Roupas repelentes podem ajudar a evitar a transmissão de doenças

E com a evolução já se faz uso da nanotecnologia na fabricação de tecidos com ação repelente. A empresa portuguesa Sucess Gadget desenvolveu a Sil2u (nanopartícula de sílica associada a um princípio ativo) capaz de repelir insetos com foco na prevenção da Dengue e Malária inicialmente e com testes e estudos conduzidos no Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Lisboa.

As roupas repelentes apresentam preços e durabilidade que variam conforme a tecnologia de fabricação utilizada no produto e pode durar de 30 até 100 lavagens (tecido com nanotecnologia).

Recomenda-se que não se realize lavagens a seco.

Foco na prevenção? Principalmente para quem gosta de fazer exercícios ao ar livre, grávidas, portadores de doenças crônicas e todos que querem se proteger do Zika as roupas repelentes parecem ser uma ferramenta a mais como “escudo anti-insetos”.Consulte o seu dermatologista para personalizar a prevenção conforme sua necessidade.



Dra. Bel TakemotoDra. Bel Takemoto
Médica Dermatologista
CRM-SP 123.860 | RQE 35064

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *