Home » Doenças da Pele » Assaduras

Assaduras

assaduras-dermatologia-e-saude-350x300A assadura ou dermatite na área das fraldas é a irritação de pele mais comum nos primeiros dois anos de vida.

Pode ser complicada por doenças que se sobrepõem a ela, necessitando de avaliação médica. Entenda melhor as causas desse problema e os cuidados necessários na prevenção e tratamento

A dermatite na área das fraldas, dermatite amoniacal ou mais popularmente conhecida como “assadura” é a irritação de pele mais comum nos primeiros dois anos de vida. Pode se iniciar no primeiro ou segundo mês de vida e persistir durante todo o período de uso de fraldas se não for adequadamente cuidada.

Vamos ajudá-los a entender melhor o que se passa com seu bebê nessa situação.

A pele do bebê é naturalmente sensível e fina. E as regiões de dobras que ficam em contato com as fraldas são diariamente submetidas a um ambiente quente, úmido. Isto as torna muito mais susceptíveis a irritações e infecções. Dessa forma, a inflamação nessa região é causada por uma combinação de fatores:

– Contato prolongado com urina e fezes – o que causa irritações;

– Calor local, umidade e retenção de suor relacionado ao uso de fraldas e calças plásticas.

Esses fatores irritantes prejudicam a barreira de gordura que protege a pele, abrindo a porta para infeções por bactérias e fungos nessa região.

Em alguns casos a dermatite de fraldas pode ser complicada por algumas doenças que se sobrepõem a ela, necessitando da avaliação de um profissional médico qualificado. Um exemplo disso é a associação de brotoejas na área das fraldas no verão. Nesse período as assaduras costumam piorar, pois o aumento da temperatura ambiente resulta em mais calor e suor nas regiões ocluídas pelas fraldas.

Aqui, vamos orientar alguns cuidados muito importantes que vão ajudar a manter seu bebê livre desse problema:

– Mantenha a região genital da criança limpa e seca, aumentando a frequência de troca de fraldas;

– Dê preferência a fraldas superabsorventes (nem todas marcas são);

– Fraldas de pano são consideradas menos alergênicas e ecologicamente corretas. Desvantagens: permitem maior contato da urina e fezes com a pele, e necessitam de limpeza adequada para eliminação de microrganismos (lavagem com sabão e fervura);

– Não deixe as fraldas apertadas: o uso de fraldas com tamanho maior que o habitual até ajuda a melhorar a ventilação no local;

– Mantenha a região exposta ao ar o maior tempo possível, evitando o uso contínuo de fraldas;

– Para evitar a umidade excessiva na área das fraldas, pode-se utilizar cremes de barreira. Estes cremes ajudam a prevenir o contato das fezes com a pele já danificada. Por não serem removidos facilmente com água, recomendamos que não sejam retirados a cada muda de fralda para não irritar a pele do bebê.

– Para remoção dos cremes de barreira e resíduos de fezes aderidos à pele, recomendamos usar primeiro algodão embebido em óleo vegetal e só depois proceder à lavagem com sabonetes neutros e suaves. Use água corrente para melhor remoção desses resíduos;

– Lave o bumbum do bebê com água e seque delicadamente com uma toalha macia (sem esfregar) após cada troca de fralda. A limpeza apenas com água morna e algodão já é suficiente na limpeza diária da urina;

– Evite o uso de lenços umedecidos nesse processo, pois podem causar alergias e aumentar a irritação do local;

– Para diminuir a irritação e calor local, evite o uso de calças plásticas;

– Use cremes prescritos pelo seu dermatologista ou pediatra de confiança: o uso indiscriminado de pomadas nessa região não é recomendado, pois muitas substâncias podem causar alergias e até agravar a irritação no local.



Dra. Maise SampaioDra. Maise Sampaio
Médica Dermatologista
CRM-GO 12756 | RQE 8130

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

3 Comentários

  1. Relacionados: Brotoejas - Dermatologia e Saude
  2. Relacionados: Cuidados com a pele da criança - Dermatologia e Saude

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *