Home » Doenças da Pele » Tenho psoríase. E agora?

Tenho psoríase. E agora?

O seu médico disse que você tem psoríase. Você ficou atordoado, confuso e não sabe o que fazer? Respire fundo, tente se acalmar e leia essas sete dicas para que a sua convivência com a doença seja a melhor possível. A doença ainda não tem cura, mas pode ser muito bem controlada.

Psoríase
Lesão típica de psoríase: placa avermelhada descamativa em cotovelo.

O estresse e depressão são os inimigos n°1

Leve a vida mais leve. Procure não se desgastar emocionalmente. O estresse tem papel importante no aparecimento e na piora das lesões. Não fuja de encontros sociais, faça uma atividade física ao ar livre ou que lhe dê prazer, converse sobre a sua doença, procure ajuda e não se esconda!

Não adianta brigar com a genética. Quanto mais importância for dada à doença e ao aspecto estético das feridas, mais estressado você ficará. E quanto mais estressado, pior será a evolução da doença.

A hidratação da pele é fundamental

A hidratação e o banho são partes fundamentais do tratamento. A pele deve ser hidratada com emolientes todos os dias. O melhor horário para se aplicar o hidratante é logo após o banho com a pele ainda úmida. O banho deve ser bem rápido, morno, sem buchas ou esfoliantes. Dê preferência aos sabonetes brancos, sem perfume, ou os de glicerina.

Psoríase
Paciente com psoríase deve ter a pele sempre bem hidratada.

A dieta faz parte essencial do tratamento

Deve-se estimular a ingestão elevada de Ômega 3, a gordura saudável que é encontrada em peixes de água fria, como, salmão e atum; linhaça; nozes e castanhas. Às vezes, opta-se até mesmo por fazer uma suplementação extra em cápsulas. Estudos mostraram também que períodos de jejum, dietas hipocalóricas e vegetarianas são benéficas, já o consumo excessivo de carne vermelha, enlatados, embutidos, café, chá preto e bebida alcoólica podem piorar a doença.

A dieta faz parte essencial do tratamento.
Fontes de ômega 3: salmão, nozes, semente linhaça, abacate

Bebida alcoólica e tabagismo não combinam com psoríase

Quem fuma ou bebe álcool têm maior risco de desenvolver psoríase. E, além disso, o cigarro e o álcool podem ser os gatilhos para as novas crises em pacientes com psoríase. Dentre as bebidas alcoólicas, a cerveja é considerada a pior, pelo glúten da cevada usada na fermentação da bebida. O tabagismo dobra o risco da pessoa desenvolver psoríase. O risco aumenta com o número de cigarros consumidos, e é ainda maior nas mulheres. O risco de uma mulher que fuma mais de um maço por dia é 2,5 vezes maior que das não fumantes.

4.Bebida alcoólica e tabagismo não combinam com psoríase
Diga não a esses vícios: álcool e tabaco.

Invista na sua qualidade de vida

Modifique o seu estilo de vida, controle o peso, faça exercícios físicos regularmente, durma bem, tome muita água e procure ajuda para controlar o estresse e a depressão.

O sol é um aliado

Tomar um pouco de sol diariamente, em torno de 10 minutos, no ínicio da manhã ou no final da tarde, faz muito bem para os pacientes com psoríase. O sol é um ótimo anti-inflamatório. Porém, cautela é importante pelo risco aumentado de câncer de pele com a exposição à radiação ultravioleta. Lembre-se de hidratar a pele antes e após a exposição ao sol.

Livre-se dos preconceitos!

A psoríase não é contagiosa. Você não “pegou” de ninguém e também não consegue transmiti-la para outra pessoa. Pode namorar, beijar, nadar e abraçar à vontade pois o toque e o contato íntimo não transmitem a psoríase. A psoríase também não tem nenhuma relação com a limpeza da pele. Livre-se dos preconceitos e seja feliz.



Dra. Ana Andrade CappDra. Ana Andrade Capp
Médica Dermatologista
CRM-DF 14.244 | RQE 10.245

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *