Home » Dicas » Porque meu Botox não dura mais como antes?

Porque meu Botox não dura mais como antes?

porque-o-meu-botox-não-dura-como-antes-dermatologia-e-saúdeSeu Botox não dura mais como antes? Saiba o porquê

Alguns fatores externos afetam a duração da toxina botulínica. Saiba quais são eles:
Frequentemente no consultório nos deparamos com essa pergunta: – Porque meu Botox® esta durando pouco?

Na verdade muitos são os motivos responsáveis pela toxina não estar durando tanto quanto antes. vamos falar um pouco sobre alguns deles.

1.A Flacidez facial:

A toxina botulínica age relaxando os músculos da face. Com o relaxamento, esses músculos se tornam menos aparentes durante a mímica. Porém, à medida em que os anos passam, a pele que cobre esses músculos vai perdendo sua camada de colágeno, tornando-se mais flácida e mais fina,e apesar da aplicação da toxina, basta um pequeno retorno do movimento muscular e essa pele já volta a dobrar,destacando as ruguinhas que antes não eram visíveis tão precocemente. Por esse motivo é importante recorrer a outros tratamentos além da toxina botulínica, para prevenir e tratar a flacidez da pele,como os preenchimentos de ácido hialurônico e hidroxiapatita de cálcio, lasers fracionados, ácido poliláctico, ultrassommicrofocado e outras técnicas.

2.Qualidade da Toxina Botulínica:

Existem hoje várias marcas de Toxina botulínica no mercado sendo o Botox® a mais conhecida popularmente. A qualidade da toxina pode variar de acordo com sua procedência. Por esse motivo devemos ter cuidado com preços muito baixos, pois isso pode implicar em insatisfação tanto do resultado quanto da duração da mesma.

3.Quantidade de unidades aplicadas:

Doses muito altas de toxina podem produzir um efeito artificial, “congelando” a mímica facial, enquanto doses muito baixas podem produzir resultados de pouca duração.

Atualmente se busca um resultado natural, nem paralisado, nem de tão efêmeros. Diante dessa questão está a importância da formação e preparo do médico dermatologista, que fará a aplicação da toxina em doses maiores nos músculos com maior forca muscular, e doses menores em locais que poderiam produzir um aspecto congelado da face. O cálculo da dose leva em consideração a força de contração de cada indivíduo.

O tratamento com a toxina deve ser feito por mãos experientes e capacitadas na técnica, dando ao paciente o embelezamento que a toxina pode produzir. O conhecimento da anatomia facial com profundidade também é imprescindível para a duração da toxina, pois aplicações fora dos pontos musculares ideais pode fazer com que a duração da toxina seja menor.

4.Atividade física:

Existem evidências científicas de que a toxina botulínica pode ter a sua duração reduzida em pacientes com atividade física extenuante. Isso ocorre tanto pela hipertrofia muscular facial desses pacientes quanto a contração exercida durante o exercício.

5.Antibióticos:

O uso de alguns antibióticos pode reduzir o tempo de ação da toxina e deve ser informado ao médico.

6.Formação de anticorpos:

Apesar de muito se falar sobre a formação de anticorpos, que deixariam certas pessoas resistentes após varias aplicações da toxina, as evidências científicas nos mostram que existem pouquíssimos casos de formação de anticorpos após aplicação cosmética da toxina botulínica, por se tratar de uso em pequenas doses.



Dra. Fernanda Andreia Teixeira de Queiroz DomingosDra. Fernanda Andreia Teixeira de Queiroz Domingos
Médica Dermatologista
CRM-MG 39.617 |  RQE 22.893

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *