Home » Dicas » Creme é coisa séria

Creme é coisa séria

Os cremes dermatológicos são de fácil obtenção em farmácias. Cuidado com seu uso incorreto, há efeitos colaterais graves

Usar cremes sem orientação médica pode trazer problemas maiores que você pensa.
Usar cremes sem orientação médica pode trazer problemas maiores que você pensa.

Medicamentos podem ser usados de diversas formas: você pode tomar por comprimidos, líquidos, por bombinhas de inalação, por injeção direto na veia. E por fim de uma forma que é das mais usadas na dermatologia, que são os medicamentos tópicos.

Na forma de cremes, pomadas, loções e outras formulações, várias substâncias são usadas no tratamento de doenças e em estética através da aplicação direta na pele. Pela simplicidade do uso, e por ser aplicado “apenas externamente”, tendemos a achar que cremes e pomadas sempre serão simples, inoquos e sem efeitos colaterais.

Mas isso é um engano: muitos cremes, sejam de uso estético ou de uso medicamentoso, se utilizados em excesso ou nas áreas erradas podem dar efeitos colaterais, por vezes irreversíveis. Substâncias como ácido retinóico, hidratantes, e muitos outros podem provocar irritações, dermatites, coceira e outros efeitos no local de uso ou em outras áreas do corpo.

Os corticoides são dos medicamentos em creme de maior chance de abuso. Sempre há um vizinho que indica ou uma informação desconexa na internet sugerindo o seu uso, como se fosse um “creminho” apenas com efeito de “curar” o problema e nada mais. Porém, nada na medicina tem apenas efeitos bons. Tudo em maior ou menor intensidade pode produzir efeitos colaterais.

Mas que problema um simples creme com corticoide pode me dar se eu usar?

A pergunta já começou errada: é difícil um creme de corticoide ser um “simples creme”. O corticoide é um MEDICAMENTO, com os benefícios e riscos de medicamentos orais , endovenosos, e outros.

As consequências vão depender de como se usou o creme e para que problema de pele ele foi usado. Os corticoides de uso tópico tem grande variedade de moléculas, de efeito desde fraco a muito intenso. Há regras para o uso de cada formulação, desde o número de vezes que se passa por dia, número de dias de uso, o local do corpo onde se usa cada tipo de corticoide, e o veículo (creme, pomada, loção) em que este medicamento foi produzido.

Dentre as formulações, uma das mais potentes utilizadas pelos dermatologistas é a que possui um plástico (chamado “filme oclusivo”). O efeito deste plástico é forçar a molécula do medicamento a penetrar na pele, e chega a conseguir uma penetração 100 vezes maior do que se fosse em creme. É muito útil para determinadas doenças, e muito potente, mas de enorme risco se usada incorretamente, principalmente para queixas estéticas (acne, dermatites).

Seu uso na acne pode piorar a doença, por alterar as condições da pele acneica.

Seu uso em pele do corpo pode provocar enfraquecimento (atrofia) da pele e levar a estrias, que darão o mesmo padrão de preocupação e dificuldade de tratamento que estrias por outras causas.

Em alguns tipos de dermatite o corticoide pode dar um alívio de alguns dias na doença, mas levar a uma piora intensa quando se suspende o creme (o rebote). Aí, a pessoa volta a usar, para aliviar os sintomas, e, quando pára a medicação, provoca novo rebote, que levará a novo uso, e este ciclo vicioso com certeza terminará numa dermatite muito mais grave que a inicial.

Em crianças, pela pequena superfície de corpo que elas possuem e por terem uma pele muito mais delicada que a do adulto, a absorção do medicamento pelo corpo vai ser maior, podendo levar a efeitos internos (obesidade, alteração do crescimento) mais intensos que nos adultos, e por vezes irreversíveis.

Medicamentos em creme continuam sendo medicamentos, e devem ser usados com cautela. Sempre consulte um médico dermatologista para usar medicações em formulações tópicas. Evite a dor de cabeça de ter que tratar uma complicação de um creme usado incorretamente. Acredite, não é tão simples assim.



Dr. Marco Otávio Rocha CoutoDr. Marco Otávio Rocha Couto
Médico Dermatologista
CRM-DF 12.167 | RQE 6137

Outros artigos deste colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *