Home » Dicas » Cabelos afros: Saiba Mais!

Cabelos afros: Saiba Mais!

Os cabelos das mulheres afrodescendentes possuem características peculiares, que os tornam diferentes dos cabelos das caucasianas e asiáticas.

São cabelos mais suscetíveis à certas fragilidades, não só em razão da sua estrutura, mas também de hábitos culturais que ainda resistem, como o uso de penteados e apliques que tracionam o fio e de tratamentos químicos para alisamento e relaxamento dos cabelos, que modificam a estrutura da haste capilar e tornam os fios mais sensíveis ao dano

Aspecto do cabelo afroétnico Os cabelos e suas características

Os cabelos exercem uma importante função social, determinam estilos ao longo de gerações e influenciam na autoestima e personalidade das pessoas. Um individuo se diferencia do outro por meio do corte, penteado e colorações dos cabelos. Outro fato interessante é a ligação dos cabelos e sexualidade, o cabelo desde a antiguidade é tido como símbolo de sensualidade.

Mas além da função estética, os cabelos no ser humano têm a função de proteção do frio e radiação solar. Por isso, os indivíduos calvos apresentam incidência maior de câncer de pele no couro cabeludo.

O fio de cabelo é composto basicamente por proteína. São duas cadeias paralelas de proteínas ligadas por várias pontes de enxofre e hidrogênio, que giram sobre si como uma escada de cordas torcidas. Essa parte interna do fio é o córtex, que garante a elasticidade e resistência. As espirais de queratina do cabelo permitem que os fios sejam esticados e aumentem o seu comprimento em até 50%, e depois voltem para o tamanho normal. Isso é muito útil ao pentearmos os cabelos, pois se os fios não tivessem elasticidade, toda vez que o pente prendesse em alguma parte embaraçada do cabelo o fio se quebraria à mínima tensão. A parte mais externa do cabelo é a cutícula, que protege o fio do cabelo e é composta por células de queratina que se sobrepõem uma as outras, como escamas de peixe. Quando a cutícula está bem fechada, o cabelo reflete a luz e brilha mais.

Os cabelos apresentam diferentes características de acordo com os três grandes “grupamentos raciais”: caucasiano, oriental e africano. As diferenças principais estão na aparência, geometria, propriedades mecânicas e na quantidade de água.

Quais são as características mais importantes do cabelo afroétnico?

  • O cabelo afroétnico caracteriza-se por fios achatados, em formato de fita, estreitados em alguns pontos e mais largos em outros. O trajeto do fio segue um padrão espiral ou zigue zague, o que dificulta o processo de lubrificação natural dos fios, já que a oleosidade natural que parte do couro cabeludo para as pontas não é feita de maneira uniforme. Essa configuração espiralada, com haste achatada e irregular, é responsável pela menor resistência ao estiramento e pela maior chance de rompimento ao menor trauma. Quanto mais ondulado o cabelo, mais frágil e ressecado ele se torna. Os cabelos caucasianos e asiáticos possuem um folículo reto, haste que cresce com formato arredondado e diâmetro homogêneo ao longo da fibra. Quando é feito um corte transversal do fio, ele se apresenta de forma oval nos caucasianos, circular nos asiáticos e elíptica nos afrodescendentes;
1-asiático 2-caucasiano 3-afrodescendente
1-asiático 2-caucasiano 3-afrodescendente
  • A cutícula dos cabelos afroétnicos tem uma média de seis a oito camadas, menor que a dos caucasianos, usualmente com doze. Por essa razão, aqueles são mais frágeis e finos, logo mais propensos à quebra. O cabelo afroétnico é o tipo mais frágil de cabelo, pois além de ter menos camadas de cutículas que protegem contra os danos, também sofrem com os alisamentos químicos e traumas mecânicos, como a chapinha e escova, que danificam ainda mais a cutícula;
Formato dos fios de cabelos em cada raça e o aspecto microscópico das camadas
Cutículas dos fios das diferentes raças
  • A quantidade de água e a capacidade de absorção de água dos fios é menor. Por isso, a resistência à tensão e ao estiramento também são menores, os fios se quebram facilmente e formam nós e fissuras longitudinais, o que os tornam difíceis de pentear;
  • A cor dos cabelos deve-se à melanina, pigmento natural presente nos fios. Existem dois tipos de melanina, a eumelanina e a feomelanina. Todos os cabelos possuem ambos os tipos, a quantidade e proporção de cada uma é variável e isso determina a coloração dos cabelos. Os cabelos afroétnicos são mais pigmentados, já que têm uma maior quantidade de eumelanina (tom preto ao vermelho escuro) que feomelanina (tom vermelho brilhante ao amarelo pálido). A eumelanina é o pigmento mais eficaz em proteger os fios da radiação ultravioleta;
  • O número total de fios de cabelos nos indivíduos afrodescendentes é, em média, menor que nos caucasianos, porém maior que nos asiáticos;
  • Os cabelos dos indivíduos negros crescem mais lentamente (0,9 cm/mês contra 1,3 cm/mês) em comparação aos demais;
  • As fibras elásticas que ancoram e sustentam os fios na pele são poucas, por isso, é mais comum que os cabelos afroétnicos apresentem alopécias (queda dos cabelos), principalmente as cicatriciais, que são irreversíveis.

Quais são as queixas mais comuns dos indivíduos com cabelo afroétnico?

Fragilidade dos cabelos, pontas duplas, frizz, coceira no couro cabeludo, descamação, pelos encravados (foliculites) e queda (alopécias).

Quais as doenças que podem ter relação com os cabelos afrodescendentes?

  • Dermatite seborreica ou caspa: muito frequente na população negra;
  • Dermatite de contato por irritante primário: cremes ou xampus utilizados para tentar camuflar ou amenizar a descamação da caspa podem levar à irritação do couro cabeludo;
  • Fragilidade capilar: pelo uso de xampus antioleosidade e pelos processos químicos (relaxamento ou alisamento) ou térmicos (chapinha e secador) que danificam a haste do cabelo, deixando-os mais frágeis;
  • Pseudofoliculite da barba: tem alta prevalência em negros, sobretudo nos homens entre catorze e vinte e cinco anos;
  • Alopécias cicatriciais como a alopécia de tração: áreas irreversíveis de queda dos cabelos, geralmente em mulheres negras, na região frontal. Relaciona-se à tensão excessiva feita nos cabelos em determinados penteados como nas tranças, rabos de cavalo, apliques e tererês, quando utilizados com frequência;
  • Acne queloidiana da nuca ou foliculite da nuca.
  • Foliculite dissecante.


Dra. Ana Andrade CappDra. Ana Andrade Capp
Médica Dermatologista
CRM-DF 14.244 | RQE 10.245

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *