Home » Câncer de Pele » Bronzeamento Artificial

Bronzeamento Artificial

bronzeamento-artificial-dermatologia-saudeNo Brasil durante o verão existe um aumento na busca por um visual bronzeado.

Para quem não pode ir à praia ou piscina, existem os procedimentos de bronzeamento artificial, que reproduzem o efeito do sol na pele como: as câmaras bronzeadoras, os autobronzeadores, o bronzeamento a jato, as pílulas de bronzeamento e o bronzeamento natural.

A exposição solar excessiva é prejudicial, podendo causar envelhecimento precoce e aumenta o risco de desenvolver câncer de pele. No Brasil, esse é o tipo mais frequente de câncer e o tumor mais comum é o carcinoma basocelular, responsável por 75% dos casos da doença, e seu principal fator de risco é a radiação UVB, cujos raios são mais intensos no verão.

A radiação UVA é constante durante todo o ano, e o problema é que pode causar o melanoma, um tipo de câncer de pele agressivo.

Câmaras de Bronzeamento

As câmaras de bronzeamento artificial emitem principalmente raios UVA, com baixo nível de radiação UVB, portanto aumentam em 75% o risco de ter câncer de pele, principalmente o melanoma, tipo mais grave de câncer de pele.

Por isso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) em dezembro de 2009 proibiu a prática de bronzeamento artificial por motivações estéticas no Brasil. E a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer, ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), passou a considerá-las cancerígenas, Elas trazem riscos comprovados à saúde.

Autobronzeadores

Os autobronzeadores são cremes que tingem a pele. A substância escurece a camada mais externa da pele sem prejudicar a saúde. Cinco horas após a aplicação já se observam os resultados.

São produtos seguros, a não ser para aqueles que tenham alergia. Pode ser reaplicado em intervalos que variam de 2 a 5 dias para se manter “o bronze”, e é uma boa opção para aqueles que não dispensam uma “corzinha” no verão.

Bronzeamento a jato

O produto à base de dihidroxiacetona é aplicado sobre a pele com uma pistola e provoca uma reação química na pele, escurecendo-a.
O efeito do bronzeado tem duração média de uma semana e a aplicação só não é recomendada para gestantes e pessoas alérgicas . O procedimento é rápido e seguro.

Pílulas de Bronzeamento

As pílulas de bronzeamento são compostos de licopeno, vitamina C, vitamina E, betacaroteno, extrato de cacau e urucum. Essas substâncias estimulam a produção de melanina, entretanto para se obter o bronzeado é necessário a exposição solar, que também aumenta a chance de ter cancer de pele.

Bronzeamento natural com fita

A nova “moda” é o bronzeamento natural com fita, no qual se “pregam” fitas adesivas no corpo da pessoa para fazer o desenho da “marquinha” desejada. Apesar de o bronze ser adquirido naturalmente com a exposição solar, este também é um procedimento perigoso pois na maioria das vezes não se usa filtro solar para a exposição e costuma-se inclusive usar produtos bronzeadores para potencializar a ação da radiação solar. Desta forma, este também é um método que pode aumentar as chances de se desenvolver câncer de pele.

Ainda que seja permitido tomar sol após o uso destes métodos de bronzeamento, o uso de protetor solar continua sendo essencial, pois esses procedimentos não protegem contra os raios solares.



Dra-Fabiola-de-Paula-Pereira-TakeutiDra. Fabíola de Paula Pereira Takeuti
Médica Dermatologista
CRM-SP 119874 | RQE 40586

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *