Home » Câncer de Pele » Tipos de Carcinoma Basocelular e Tratamentos

Tipos de Carcinoma Basocelular e Tratamentos

Carcinoma basocelular pode apresentar-se de diversas formas clínicas. Aprenda a reconhecer cada uma

Existem diversos tipos de carcinoma basocelular:

Carcinoma basocelular nodular:

É a forma mais comum do carcinoma basocelular. Geralmente é um nóludo decoloração rósea ou avermelhada, com brilho perolado. Pode apresentar finos vasos de sangue (teleangiectasias) na superfície. É mais frequente no rosto, mas pode surgir em outros lugares. É um tipo de tumor com comportamento menos agressivo.

Carcinoma basocelular esclerodermiforme:

Este tipo de tumor lembra uma cicatriz, geralmente os limites são mal delimitados. É um tipo de carcinoma basocelular de comportamento mais agressivo. Esta forma de CBC é difícil de ser diagnosticada, normalmente apenas médico muito bem treinados são capazes de fazer o diagnóstico. O tratamento é quase que exclusivamente cirúrgico.

Carcinoma basocelular superficial:

Este tipo de carcinoma basocelular é mais frequente empessoas jovens, sendo mais comum nas costas. Em geral é uma área avermelhada, quase plana, com descamação leve. Justamente por esta aparência o carcinoma basocelular superficial é confundido com outras doenças de pele como psoríase, eczema, Doença de Bowen e queratose actínica. Um recurso muito útil na diferenciação entre carcinoma basocelular e estas doenças é a dermatoscopia. Costuma ter um comportamento menos agressivo, e pode, em casos selecionados, sem tratado sem cirurgia.

Carcinoma basocelular pigmentado:

O carcinoma basocelular pode ser pigmentado, escuro. Isto ocorre com mais frequência em pessoas de pele mais morena. A forma pigmentada faz diagnóstico diferencial com queratoses seborreicas e melanomas.

Carcinoma basocelular
A- Carcinoma Basocelular Nodular, B-Carcinoma Basocelular Esclerodermiforme, C-Carcinoma Basocelular Superficial, D-Carcinoma Basocelular pigmentado

Tratamentos

Carcinoma basocelular tem cura. Quanto mais precoce o diagnóstico, mais fácil de tratar. O tratamento depende da localização do tumor, do tipo, do tamanho e das condições de saúde da pessoa.

Cirurgias

É o método de escolha no tratamento do carcinoma basocelular. Além da remoção do câncer, retira-se um pouco de pele normal ao redor do tumor como margem de segurança. A margem de segurança varia com o local e o tipo do tumor. Em casos mais agressivos podemos usar uma outra modalidade de cirurgia: Cirurgia Micrográfica de Mohs. Nesta modalidade cirúrgica, após a retirada, todo o tumor é enviado para um exame de biópsia por congelação onde 100% de suas margens cirúrgicas são avaliadas. O próprio médico que realiza a cirurgia vai avaliar a biópsia e verificar se todo o tumor foi retirado. É a cirurgia indicada em casos de CBC recidivado, carcinomas esclerodermiformes, e tumores em regiões delicadas, como pálpebras, ponta nasal e lábios.

  • Tratamento não cirúrgicos:

Crioterapia:

A destruição por congelamento do tumor é bastante eficaz no tratamento do carcinoma basocelular. No geral a resposta terapêutica é boa, com recidivas menores que 10%.

Radioterapia:

Radioterapia pode ser usada como tratamento primário do CBC com intenção curativa, ou como tratamento associado. Pode ser usada antes da cirurgia para diminuir o tamanho do tumor ou pós-operatório para evitar recidivas. Quando usada com intenção curativa, tem bons índices de cura.

Terapia fotodinâmica:

Também conhecido como PDT (photodynamic therapy). Tratamento mais recente que usa um agente fotossensibilizante na presença de uma fonte luminosa apropriada para causar morte celular e destruição seletiva do tumor. Atualmente está indicada somente para casos de carcinoma basocelular superficial. Seu uso em outras formas de CBC ou mesmo em variantes agressivas não é indicado. Tem uma boa resposta terapêutica e um excelente resultado cosmético.

Vismodegib

O vismodegib é uma forma de quimioterapia para o tratamento do carcinoma basocelular. O mecanismo de ação é a inibição de uma via enzimáticas chamada via hedgehog. Normalmente nos carcinomas basocelulares existem mutações que levam à ativação desta via. O vismodegib está disponível em cápsulas e está indicado em carcinoma basocelulares metastáticos ou inoperáveis.

Considerações finais:

Por seu comportamento pouco agressivo tende a ser negligenciado por médicos e pacientes. É fundamental que o tratamento seja conduzido por um médico especialista e preferencialmente experiente no assunto.



Dr. Gustavo Alonso PereiraDr. Gustavo Alonso Pereira
Médico Dermatologista
CRM 97410

Outros artigos deste colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google


Tags:

3 Comentários

  1. Relacionados: Carcinoma Basocelular (CBC) - Dermatologia e Saude
  2. Relacionados: Como evitar/prevenir o câncer de pele - Dermatologia e Saude

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *