Home » Doenças da Pele » Acne – O que é e como tratar

Acne – O que é e como tratar

Acne é uma doença comum em adolescentes que apresenta cravos, espinhas e até cistos, pode deixar cicatrizes se não tratadas. Em quadros intensos pode prejudicar a qualidade de vida e a auto-estima

Estima-se que entre 35% a 90% dos adolescentes apresentem problemas com acne
Estima-se que entre 35% a 90% dos adolescentes apresentem problemas com acne

Acne é uma doença crônica, frequente caracterizada pelo aparecimento de cravos (comedões), espinhas e cistos. Estima-se que entre 35% a 90% dos adolescentes apresentem este problema. Ocorre também nos adultos, principalmente em mulheres, chamada de acne da mulher adulta. As formas mais graves de acne costumam ocorrer nos homens.

Quais são as causas da acne?

Vários fatores estão envolvidos nas causas da acne. Existe um fator genético, onde filhos de pais com acne têm uma tendência maior de desenvolver a doença. Nos indivíduos que vão apresentar a doença ocorre aumento na produção de sebo, geralmente relacionado a estímulo hormonal, uma maior divisão de células obstruindo o local de saída do sebo, que se acumula na glândula e forma os cravos. Esse acúmulo de sebo na glândula favorece o crescimento de bactérias, principalmente o Propionobacterium acnes que esta envolvida no processo da inflamação.

Qual é o quadro clinico da acne?

Os sintomas variam de acordo com a gravidade da acne. Casos mais leves vão apresentar apenas os cravos ou comedões que são podem ser:

  • Cravos pretos (ou abertos) onde o sebo se acumula na glândula, mas a superfície da abertura da glândula, “o poro” fica aberto, com isso o sebo na superfície deste poro sofre um processo de oxidação com o contato com o ar, ficando preto e endurecido;
  • Cravos fechados (ou brancos) o sebo se acumula, mas o poro está fechado, não ocorrendo o processo oxidativo, ficando o conteúdo esbranquiçado e amolecido. Este tipo de cravo e mais difícil de ser retirado;
  • Espinhas ocorrem pelo acúmulo do sebo associado à proliferação de bactéria, com consequente inflamação e formação de pequenos pontos de pus, as pústulas;
  • Cistos que são lesões inflamatórias que atingem a pele mais profundamente, costumam ser dolorosas e determinar cicatrizes permanentes.

As lesões de acne tendem a ocorrer mais frequentemente na face, ombros, peito e costas.

Qual a classificação da acne?

A acne é classificada de acordo com o tipo e a gravidade das lesões que apresenta. A importância da classificação é na escolha do tratamento.

  1. Acne grau I (ou comedoniana) – apresenta só os comedões abertos e fechados, sem inflamação;
  2. Acne grau II (ou pápulo-pustulosa) – além dos comedões apresentam as lesões inflamadas, as espinhas;
  3. Acne grau III (ou cística) – aparecimento de cistos, lesões mais profundas, inflamadas e dolorosas;
  4. Acne grau IV – lesões císticas maiores que se comunicam formando “túneis”.

Como é feito o diagnóstico da acne?

Através do exame clinico, o diagnóstico em geral e simples, embora muitas vezes a diferenciação com o quadro de Rosácea é difícil.

Como é realizado o tratamento da Acne?

O tratamento é definido de acordo com o tipo e a gravidade das lesões, ele deve ser realizado até o completo controle da doença.

Os casos mais leves podem ser tratados só com medicações usadas sobre a pele, como: sabonetes esfoliantes, medicamentos a base de peróxido de benzoila, ácido retinóico, adapaleno e antibióticos com o objetivo de controlar a produção do sebo, desobstruir a saída do sebo e diminuir o desenvolvimento das bactérias.

Em quadros mais extensos e profundos, em geral é necessária medicação oral, como: antibióticos, anticoncepcionais em mulheres e isotretinoína. A isotretinoína é uma medicação que age na maioria dos mecanismos da acne, podendo determinar a cura da acne em adolescentes em cerca de 70% dos casos.

Outros tipos de tratamento como limpeza de pele, peeling químico, laser, tratamentos com fonte de luz tipo LED e terapia fotodinâmica também pode ser empregados.

Muitas vezes o quadro de acne pode se resolver espontaneamente, mas em geral o tratamento é realizado para prevenir as cicatrizes de acne, que são de difícil tratamento e podem levar a grande diminuição da auto-estima e prejudicar a qualidade de vida.

Quais são os fatores que podem piorar a acne?

  • Uso de andrógenos anabolizantes, tipo testosterona, que hoje em dia são muito usados em academias;
  • Alterações hormonais determinadas pela gestação, síndrome dos ovários policísticos, uso de alguns anticoncepcionais e pílula do dia seguinte;
  • Uso de algumas medicações: corticóide e carbonato de lítio;
  • Uso de produtos cosméticos e maquiagens oleosas;
  • A não retirada adequada dos cosméticos da face;
  • Uso de suplementos nutricionais, como suplemento composto pela proteína extraída do soro do leite (whey protein), pode desencadear ou agravar a acne;
  • Uso de condicionador no cabelo pode piorar a acne nas costas.

Quais as recomendações para pacientes com acne?

  • Lavar o rosto de 2 a 3 vezes ao dia, se lavar muitas vezes pode haver aumento da oleosidade;
  • Evitar passar a mão no rosto várias vezes ao dia, isto estimula a produção de sebo (óleo);
  • Não espremer as espinhas, pois pode haver formação de cicatrizes;
  • Não se expor ao sol sem protetor, o sol não melhora a acne;
  • Evitar comer excessivamente produtos lácteos e alimentos ricos em carboidratos de alto índice glicêmico, como pães, biscoitos e batata frita – pois estes poderiam pior o quadro de acne.


Dra-Mirela-BorgesDra. Mirela Borges
Médica Dermatologista
CRM-AL 4078 | RQE 1316

Outros artigos desta colunista em www.dermatologiaesaude.com.br zoom in

Encontre-me no Google

 

 

 


Tags:

9 Comentários

  1. Relacionados: Cicatrizes de acne
  2. Relacionados: Pele avermelhada: Será que eu tenho rosácea? - Dermatologia e Saude
  3. Relacionados: Isotretinoína - Dermatologia e Saude

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *